Carnaval 2019
Carnaval 2019
Receção da bandeira de Escola Amiga dos Direitos Humanos
Dia do Diploma - 2018
Dia do Diploma - 2018
16 de outubro de 2018 - Dia Mundial da Alimentação
Hastear da Bandeira Verde - 2018 - EBSSL
Hastear da Bandeira Verde - EB Fundo de Vila
Hastear da Bandeira Verde - EB do Parque
Carnaval 2019

A crise política, económica, social que tem assolado certos países leva a que muitas famílias decidam sair para fugir à guerra, à fome, ao desemprego, à violência ou simplesmente para obterem melhores condições de vida.
Portugal é o destino de muitos desses migrantes que, consigo, trazem os filhos, crianças e jovens em idade escolar. Nessa medida, a Serafim Leite, enquanto escola amiga dos Direitos Humanos e respeitando o princípio da escola inclusiva, tem matriculados, no presente ano letivo, cerca de 16 alunos oriundos dos mais diversos países. Resultado: uma escola onde o multiculturalismo é a palavra de ordem!
Fica o testemunho de cada um. (Em "continuar")

 AN GrupocDirMG 9309

OS DEPOIMENTOS DOS NOSSOS ALUNOS

 

AN EmersonEmerson Ramirez
12.ºA
Venezuela

“Sou aluno da Serafim Leite há um ano, venho da Venezuela, devido às circunstâncias que ultimamente têm ocorrido no país. Quando cheguei, foi complicado, porque não conhecia a língua portuguesa. Durante o processo de adaptação, foi difícil porque tive de começar do zero, mas com a ajuda dos professores e muita vontade de lutar pelos meus sonhos, consegui dominar a língua portuguesa e por isso estou grato à Escola Serafim leite, pela ajuda que me tem dado.”

__________________________________________

AN lohany

Lohany Zilber
10.ºC
Brasil

“Eu estou na Serafim Leite há alguns meses, mas já posso afirmar que esta é a melhor escola onde já estive. Esta escola é muito mais do que uma escola secundária, na minha opinião, pois é uma parte muito importante da minha vida (e de qualquer adolescente), porque é aqui que nós escolhemos os nosso futuro. Ser aluno da Serafim Leite, a meu ver, é ser responsável pelos seus deveres e obrigações, ter caráter e saber em quem se quer tornar, seja médico, advogado, etc. A Serafim Leite dá-nos oportunidades que talvez poucas escolas dão. Temos no total certa de nove cursos, nove opções para o nosso futuro que a Serafim nos reserva.”

 _________________________________________

 

AN william

 William Fonseca
8.ºB
Suiça

“Sou aluno da Serafim Leite há quase dois anos. Integrei-me bem, porque ainda me conseguia desenrascar em português e a minha turma aceitou-me muito bem. Eu gosto muito desta escola, só é pena as salas não terem melhores condições para projetar vídeos e serem um pouco frias no inverno.”

  

 __________________________________________

 

AN Elisabete

Elisabete Matyash
10.ºB
Rússia 

“Apesar de ter nascido em Portugal, as minhas raízes provêm da Ucrânia e Rússia. A primeira língua falada por mim foi o russo, e só após a entrada para o infantário, comecei desenvolver o português. Eu quase sempre passei as minhas férias na Rússia, e mesmo assim nunca acabei por lá ficar. Na Serafim Leite sinto-me uma aluna como todos os outros; os professores e alunos são muito acolhedores, independentemente do país de origem.“

 ______________________________________________

AN Tatiana Teixeira

 Tatiana Henriques
11.ºB
Angola

“Apesar de ter nascido em Portugal, passei a maior parte da minha vida em Angola. Cresci lá desde os meus 5 anos e, apesar de amar este país onde cresci e posso dizer que é a minha casa, vim para Portugal à procura de uma melhor formação académica. E, não podia ter escolhido melhor escola, pois a Serafim Leite sempre foi muito acolhedora desde que cá cheguei, há um ano atrás. Os professores são ótimos e altruístas e os colegas são simpáticos. Obrigada, Serafim Leite!”

                                             _____________________________________________

AN Hamad

 Hamad Bin Khalil

11.ºB
Paquistão 

“Desde que vim para Portugal, há 4 anos, do meu país natal, Paquistão, onde passei toda a minha infância, que luto para me adaptar à cultura, à religião, ao país e a tantas outras diferenças. A maior dificuldade foi a língua, mas a gastronomia também é muito diferente...”

                                                                                       _______________________________________________

 

AN hermanHerman Turko
8.ºC
Bielorrússia

“Estou há três anos em Portugal e dois e meio na Escola Serafim Leite. Nos primeiros meses foi difícil, mas depois deste tempo todo já está a ser mais fácil estudar e falar na língua portuguesa. Portugal é muito diferente da Bielorrússia, aqui está mais calor, as cidades são mais pequenas e há muitas montanhas e paisagens diferentes. Gosto de estar em Portugal, mas gostaria de voltar à Bielorrússia.”

 

        _____________________________________________

 

AN salah b siria

Salah Aden Ismael
9.ºA
Síria

“Estou há cinco meses em Portugal e venho da Síria para fugir à guerra. Vivo com os meus pais e os meus irmãos. Eu gosto de viver aqui. No início, foi difícil por causa da língua e dos costumes, mas agora já estou a aprender português. Na escola Serafim Leite os colegas e professores são simpáticos e querem ajudar-me. Não sei se um dia quero voltar à Síria.”

  ________________________________________________

 

AN Ana Carolina HenriquesAna Carolina Henriques
10.ºA
Angola

“Vivo em Portugal há um ano e meio e a adaptação foi um pouco difícil, porque as pessoas, o clima e o ensino são diferentes. Mas a Serafim Leite é uma escola acolhedora, com profissionais sempre dispostos a ajudar, o que tornou a integração um pouco mais fácil.”

 

                               ____________________________________________________

AN Afonso

Afonso Martins
10.ºB
Alemanha

"Apesar de ter nascido em Portugal, mudei-me para a Alemanha em 2013. Regressei passado 5 anos, no verão do ano passado, e foi quando entrei para a Serafim Leite. Na escola senti-me como se nunca tivesse saído de Portugal."

                 _________________________________________________

 

AN Leonor

 Leonor Martins

9.ºB
Alemanha

“Quando tinha nove anos, fui viver para a Alemanha com os meus pais e irmão. Lá, fui mal aceite e nunca me senti integrada. Quando me propuseram a ideia de regressar a Portugal, eu tive receio que me pudesse acontecer a mesma coisa. No entanto, fui muito bem aceite pelos colegas e professores da Serafim Leite e estou feliz desde que me mudei para cá.”

                                                                       _________________________________________________

Érica ResendeAN Erica
9.ºC
Suiça

“Nasci em Portugal, mas com cinco anos fui viver para a Suíça, onde entrei para a escola até aos treze. Entretanto, regressei a Portugal aos catorze anos e vim estudar para o 7.º ano na Escola Serafim Leite. Aos quinze anos fui para a Suíça e regressei passado um ano. A adaptação foi boa, porque as pessoas receberam-me bem na turma e na escola.”

                                                      __________________________________________________

 

AN Gabriel 2

Gabriel Santanna

10.ºG

Brasil

“Há seis meses eu vim para Portugal e senti dificuldades na adaptação. Atualmente estou integrado no ambiente e na socialização; o facto da língua ser a mesma facilitou a comunicação. Gosto desta escola no geral. Alguns professores, funcionários são acolhedores. Sou feliz por ter esta oportunidade, mas pretendo voltar ao meu país de origem.”

___________________________________________________

AN Pablo

Pablo
10.ºG
Venezuela

“Só estou em Portugal há um ano e meio. Os primeiros dias, não vou mentir, foram difíceis, principalmente devido à barreira linguística. Embora ainda não domine o português, estou a lutar por aquilo que quero alcançar, os meus sonhos, e percebi que tudo poderá ser conquistado se me esforçar. Agora estou num curso profissional na Serafim Leite e sinto-me feliz por estar nesta escola. “

 

                                                                           ____________________________________________________

AN Leonardo Mudryy

 

Leonardo Mudryy
5.ºC
Ucrânia

“Eu nasci em Portugal, mas a minha família é da Ucrânia. Os meus pais vieram para Portugal há sete anos à procura de melhores condições de vida. Em casa falamos ucraniano e, às vezes, português. Gosto de andar na escola Serafim Leite, os professores e as funcionárias ajudam-me e os colegas são meus amigos.”

 

____________________________________________

Texto e recolha de depoimentos: Profª Inês Picado

Fotografia: Diogo Filipe Cruz - 11º A

Edição: Prof. Celestino Pinheiro