EB Fundo de Vila Fundanças 2018
EB do Parque - Visita à Fábrica da Ciência Viva, em Aveiro
O Carnaval do AESL
Dia Mundial da Alimentação
Dia Mundial da Alimentação na Escola do Parque
Halloween na Escola do Parque
Dia do diploma 2017
Dia do diploma 2017
Erasmus+ - Croácia 2017
EB Fundo de Vila - Fundanças 2018

Entre os dias 2 e 9 de outubro, uma delegação de alunos da Escola Básica e Secundária Dr. Serafim Leite, acompanhados por duas professoras, participou numa ação do Projeto ICT (Competitions for increasing quality in secondary education), integrado do programa Erasmus+, que desenvolve parcerias estratégias entre escolas. A competição decorreu na cidade de Alcoy, a cerca de 100 km de Valência, e envolveu alunos de seis países europeus (Portugal, Espanha, República Checa, Polónia, Croácia e Grécia). Para saber o que se passou, nada melhor do que ouvir o que os quatro "aventureiros" da nossa escola têm para nos contar. Clica em "continuar" e fica a saber tudo.

 

capa

TESTEMUNHOS

Ana Henriques– 11ºC

anaEsta semana em Espanha foi muito preenchida. Passei pela grande cidade de Valência (no primeiro e no último dia), e fiquei alojada em Alcoy. Na escola em que o concurso foi realizado, foram realizadas muitas atividades, durante as quais pude aprender diversas coisas.

Provavelmente do que mais gostei na viagem, foi das visitas ao Museu de Festas de Mouros e Cristãos (em Alcoy) e ao Centro de Artes e Ciências (em Valência).

Queria agradecer a todas as escolas inseridas no projeto, assim como professores e diretores, que me ofereceram esta oportunidade única, durante a qual pude desenvolver e testar competências linguísticas, sociais e cognitivas, aumentar a minha cultura e adquirir conhecimentos a nível geral.

 

 

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 André Pereira – 11ºA

André Pereira"Antes de mais, gostaria de agradecer à Escola Secundária Dr. Serafim Leite, por esta oportunidade que nos foi proporcionada, assim como ao colégio dos Salesianos Alcoy Juan XXIII, por terem sido os nossos amáveis hospedeiros; gostaria também de agradecer a ambas as professoras que nos acompanharam por terem, uma vez mais, tornado esta viagem possível.
Apesar do nervosismo inicial, todo ele se desvaneceu por completo, ao conhecer os representantes dos diversos países, como a Croácia, a Polónia, a República Checa, a Grécia e a Espanha...E nós, Portugueses que somos, perdemos o medo de falar, após o contacto com diferentes conhecimentos e culturas e muito mais… Todos saímos com a grande vontade de aprender novas línguas, de viajar pelo mundo, mas, acima de tudo, de não nos esquecermos de rir. Fizemos muitos projetos, desde visitas aos diversos países, assim como a promessa de um futuro interrail...
Posso dizer que, para mim, foi uma experiência que ficará recordada para a vida, e muito me surpreenderia se assim não acontecesse: desde as novas palavras aprendidas das outras línguas, até ao conhecimento das diferentes culturas.
Foi a primeira vez que provámos algo "típico" espanhol, os “Pinchos”, para além de todas as recordações que trazemos de duas grandes cidades: Valência Alcoy. Não posso deixar de referir a ida à grande cidade das Ciência, que nos deixou, por assim dizer, "de boca aberta", ao ver aquela obra colossal... (Fica também assim a referência aos Gregos que não eram da Grécia.)
Agradeço mais uma vez à Escola Secundária Serafim Leite, assim como às duas professoras que nos acompanharam, pois a elas se fica a dever a realização desta "aventura".
Obrigado"

 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Laís Silva– 12ºA
laís 11aQuando me foi apresentada a oportunidade de participar no concurso, não imaginei que seria uma das escolhidas para representar Portugal na competição internacional.
A última semana na Espanha foi uma ótima experiência, não só pelas excelentes visitas culturais, mas também pelos novos amigos que pude fazer.
Valência, Alicante e Alcoy foram cidades belíssimas de se visitar, todas com uma história e culturas similares, no entanto cada uma com uma identidade própria.
Alcoy, uma vez que foi aquela em que pude passar mais tempo, parece ter sido a que teve mais para oferecer. A visita à fábrica de azeitona Serpis foi interessante (criou água na boca...) e o museu subterrâneo foi uma agradável surpresa.
Para mim, o momento favorito da viagem deve ter sido a visita à Cidade das Artes e Ciências, durante a nossa passagem por Valência. Aí pudemos bservar a Gaiola de Faraday ao vivo e a cores, sem contar as várias exposições existentes no local.
Fiquei maravilhada com estas experiências e gostaria de agradecer à escola pela oportunidade que me foi oferecida: é algo que nunca irei esquecer.

 

 

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 

Luís Pinho (11.º A)
Luís PinhoPara começar, sinto-me obrigado a dizer que esta foi, sim, a minha primeira viagem, a grande viagem, expressão habitual na minha idade. No fundo, eu fiquei ansioso quase que de forma imediata, assim que me apercebi que a mais pequenina (aparentemente) das oportunidades me oferecia um sorriso esperançoso, um sorriso parvo e, de certa forma, inocente, o qual ainda tenho – confesso - estampado no rosto, mesmo depois da nossa chegada.
No início desta aventura, deslocámo-nos para o aeroporto “Sá Carneiro”, a fim de embarcarmos e a primeira imagem que retenho é a daquele monstro mecânico tão imenso. A viagem que se seguiu não foi muito duradoura e acabámos por chegar a Valência, o nosso primeiro destino. Depois de gastarmos os calcantes, em longas caminhadas, pela grande cidade, procurámos a praia. Acabámos por ter de nos desenrascar, como típicos portugueses que somos, e pedir direções relativas aos locais a visitar. Devo apontar que só o facto de termos, cada um, de interagir com pessoas diferentes e completamente desconhecidas, com o intuito de nos desenvencilharmos, foi uma experiência algo enriquecedora e divertida – pelo menos é assim que vivo, agora, esse momento.
No fim desse mesmo dia, encontrámos alguns dos grupos que representavam os outros países e tivemos aquilo a que designo de “uma espécie de encontro informal”. Em Alcoy ou Alcoi, dependendo da vontade de cada um, chegámos ao hotel para uma tão merecida noite de descanso.
Já no dia seguinte, todos os membros integrantes da competição interagiram entre si, após terem sido divididos em grupos de cor, onde nos “obrigaram” a falar uns com os outros, por mais tímidos que pudéssemos ser. Os dias passaram, falámos, rimos, cantámos - uma vivência distinta desde cada acordar até ao momento de deitar. Não acho possível descrever com mais detalhes tudo o que vivi, por isso, apenas deixo este pequeno “cheirinho”.
A partir do segundo em que me deram a entender que eu teria conseguido ingressar em tal aventura, fiquei sem fôlego e permaneci muito, mas muito, entusiasmado. Fugiam-me as palavras, as respostas, até as questões me escapavam (logo a mim, palrador de nascença) por entre o turbilhão de ideias e pensamentos que me impediam de respirar corretamente até à aterragem, no nosso querido solo português. Querido porquê, perguntam? Nada a ver com o facto de, porventura, não gostar de voar, pelo contrário, na medida em que considerei uma experiência muito divertida… o problema é que o cansaço era tamanho que não conseguia manter-me acordado, durante a viagem, por muita relutância que tenha apresentado.
Pouco posso colocar em palavras a sorte inimaginável que eu tive, mas de certo que muitos mais tiveram e ainda terão as mais diversas chances de apostarem neles próprios, contrariando tudo, todos e até aquilo que achavam não ser capazes.
Eu próprio cheguei à competição de paraquedas, posso não ter voado tão alto como os outros, contudo, planei de uma forma tão incrível que acabei por aproveitar muito mais – acreditem! - aquele pequeno pedaço de céu. Aliás, conheci muitas pessoas e interagi com diversas culturas. No entanto, isso apenas despertou uma fome insaciável para continuar… sempre… sempre… sempre!
Quero, por fim, agradecer, do fundo do meu coração “chato”, mas extremamente satisfeito, ao Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite e aos nossos queridos anfitriões, o Colégio Salesiano de Alcoy. Ah! Mais uma coisinha, boa sorte para os próximos! Hihi!

-----------------------------------

E agora, as fotos da aventura:

Erasmus+ ICT, em Alcoy, Valência