O Dia Internacional das Pessoas com Deficiência foi, mais uma vez, assinalado no Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite, através da dinamização de um conjunto de atividades que envolveram a comunidade educativa, em diferentes dias da semana.


3 casa da criatividade“Uma mão sobre a tua pode fazer a diferença!” foi a frase que serviu de mote para a construção de um mural, organizado pelos alunos do Curso de Artes Visuais, no polivalente da escola sede, durante a manhã do dia 02 de dezembro, no qual alunos, professores e demais elementos da comunidade escolar foram convidados a deixar a sua marca como símbolo de aceitação da diferença.
Mas as atividades não ficaram por aqui, pois foi com entusiasmo que todos assistiram e aplaudiram a atuação de um grupo de alunos com e sem necessidades educativas especiais, numa coreografia.
A par destas atividades, os alunos que frequentaram as aulas de Educação Física, tiveram a oportunidade de “Vestir a Pele do Outro” e de participar em percursos e jogos adaptados, tais como Boccia e Goalball, com o propósito de poderem sentir algumas dificuldades que as pessoas portadoras de deficiência motora e/ou visual têm de enfrentar no seu quotidiano. E, são algumas destas vivências que, muitas vezes, nos fazem refletir por momentos, ajudando-nos a perceber que a diferença está, apenas, no nosso exterior porque, na verdade, somos todos iguais no que respeita à necessidade de afeto e de amizade.
No dia 03 de dezembro, um grupo de alunos da turma A, do terceiro ano de escolaridade da Escola Básica de Fundo de Vila, rumou até à Casa da Criatividade e representou o nosso Agrupamento, no espetáculo "O Principezinho", promovido pela Câmara Municipal e a Cerci de São João da Madeira em parceria com as várias escolas e associações do concelho.
“Pensar com o Coração”, foi o tema designado para a atuação deste grupo de alunos, tendo consistido numa coreografia e entoação de uma música de Carlos Paião, com letra adaptada pela Professora Titular de Turma e pelos alunos, cuja mensagem visava mostrar o verdadeiro valor da Amizade, Solidariedade e Respeito pela Diferença.2 fundo vila
Nas Escolas Básicas do 1º ciclo, foi no dia 05 de dezembro, que os alunos experienciaram um conjunto de atividades de sensibilização para a temática, através do visionamento e exploração do filme Bailarina Surda. Concomitantemente, realizaram-se jogos sensoriais diversificados e algumas atividades em Língua Gestual Portuguesa, como forma de os sensibilizar para as deficiências auditiva, visual e motora.
Como forma de valorizar a diferença, foram também oferecidos marcadores de livros, elaborados pelos nossos alunos a toda a comunidade escolar.
E foi assim que, ao experienciarmos estas vivências, sentimos que não basta apenas praticar a inclusão, é preciso acreditar e sê-la no sentido restrito da palavra.
Praticar a inclusão é estar disposto a reformular e a repensar as nossas próprias atitudes, é ajustar as velas sempre que o vento mude de direção, é estar disposto a começar tudo de novo e a refazer o que até aqui, dávamos por terminado.
A inclusão envolve mudança, é um processo contínuo de aprendizagem e de participação de todos os alunos, ou seja, é uma escola em constante movimento.
Como tal, deve ser um ponto de partida igual para todos, nas condições que oferece para dar início a essa caminhada.
Para se chegar a um local, há sempre mais do que um percurso alternativo, por isso cada um deve, livremente, optar pelo caminho que melhor se adequa a si próprio, quer pelas características individuais, quer pelo tempo disponível para lá chegar…
O importante é que TODOS tenham a oportunidade de lá chegar e de o conhecer!

O pessimista queixa-se do vento,
O optimista espera que ele mude
E o realista ajusta as velas.

                                                                                              William George Ward

1 parque

 

4 dança