Maria de Lurdes Gual

Terminado mais um longo, árduo mas gratificante ano de trabalho, apraz-me, na qualidade de coordenadora do Grupo de Teatro “Serafins”, enaltecer a prestação do elenco e de toda a equipa que com ele colaborou sempre com os olhos postos na apresentação final do projeto, a peça “Os P’s da Vida”, que representou o Agrupamento no XIII Festival de Teatro de S. João da Madeira. Neste sentido, destaco a colaboração das professoras Manuela Pinto e Teresa Margarida, como assistentes de palco, dos professores Sónia Araújo, Celeste Cerqueira e Marco Vasconcelos na cenografia, do professor Pedro Gual no som e imagem e da Filipa Gual, ex-aluna da escola e elemento do elenco, nas coreografias.


No dia 29 de abril, subiu ao palco da Casa da Criatividade a peça de teatro “Depois de ti”, da responsabilidade do grupo de Teatro “Os Serafins”. Antes da abertura do pano, um vasto grupo de mulheres - assistentes, professoras, mães de alunos… - executou uma coreografia a toda a largura do palco, evocando o papel da mulher na sociedade.

O grupo de teatro “Os Serafins” apresentou, no dia 23 de abril, o seu espetáculo no Festival de Teatro de S. João da Madeira, este ano na sua décima edição. A peça dos nossos “Serafins” chamava-se “Lado a lado” e foi reposta ainda em duas outras sessões, no dia 7 de maio.

O Grupo de Teatro “Serafins” marcou presença no espetáculo de solidariedade, intitulado “O Natal nos 6 Continentes”, que decorreu no passado dia 16 de janeiro, na Casa da Criatividade, e reverteu a favor da CERCI de S. João da Madeira.

Era uma vez um reino longínquo e desparecido. Chamava-se Atlântida. Da sua origem e da sua existência nada se sabe. Platão refere-se a ele nos diálogos de Timeu e Crítias, baseado em escritos de Sólon. Tratar-se-ia de uma civilização existente para lá das colunas de Hércules (Estreito de Gibraltar), entretanto desparecida por ação de um castigo divino, ou de uma catástrofe natural, ou da conjugação de ambos.

Para viajar basta abrir a alma e querer abraçar todos os caminhos do mundo. Sós ou acompanhados, lendo ou sonhando, provando novos sabores, conhecendo novas gentes, descobrindo horizontes longínquos... viajar é sempre um desafio! Ainda assim, ninguém deve esquecer que a maior viagem que o ser humano pode realizar é ao interior de si mesmo. (Folheto de apresentação).

 

Pelo segundo ano consecutivo, o Grupo de Teatro “Os Serafins” marcou presença no workshop de teatro, que decorreu, no dia 4 de novembro, no auditório dos Paços da Cultura. Esta iniciativa, integrada no Projeto Educativo Municipal, foi, uma vez mais, dinamizada por Andrea Gabilondo.

Terminou o V Festival de Teatro de S. João da Madeira. O seu último acto foi a peça “Um, ninguém e cem mil “, um monólogo brilhantemente interpretado pelo actor Virgílio Castelo, na noite do passado dia 15 de Maio.

"Acredito na força das palavras. Acredito que elas podem sobreviver quando o silêncio se impõe e nada mais parece fazer sentido.
Vivemos de palavras. São elas que nos conduzem, que nos subjugam, que nos libertam. Quando queremos, elas voam e são o espelho da alma e da acção. Escritas ou ditas, elas nunca perdem a magia. Quem melhor do que o actor para as dizer com o fulgor da voz, o arrebatamento do corpo e o fervor da alma."

Maria de Lurdes Gual, Coordenadora do grupo de teatro “Os Serafins”

No passado dia 5 de Novembro, o Grupo de Teatro “Os Serafins” marcou presença no workshop de teatro que decorreu no Auditório dos Paços da Cultura. Esta foi uma actividade promovida pela Câmara Municipal de S. João da Madeira e dinamizada por Andrea Gabilondo.