No dia 29 de abril, subiu ao palco da Casa da Criatividade a peça de teatro “Depois de ti”, da responsabilidade do grupo de Teatro “Os Serafins”. Antes da abertura do pano, um vasto grupo de mulheres - assistentes, professoras, mães de alunos… - executou uma coreografia a toda a largura do palco, evocando o papel da mulher na sociedade.


Depois começou a peça. A sinopse dizia-nos que “Elas fizeram a diferença na sua trajetória de vida. Numa existência de medos, dores e perdas, fizeram escolhas sem vacilar, reinventaram-se, assombraram o mundo sem renunciar a si mesmas, venderam sonhos e deram voz a uma rebelião interminável. Elas continuam a desfilar nas páginas da história inspirando as gerações futuras.”


Como “elas” chegaram ao palco
A encenação e o texto da peça parte de um estúdio cinematográfico em que se debate o tema do próximo filme, cujo argumento devia ser dedicado a uma mulher célebre, com uma vida que merecesse ser passada à tela. Como o proprietário do estúdio era um italiano, a discussão envolvia, além da família, funcionários, atores e outros figurantes, numa amálgama de opiniões, a respeito da mulher a escolher. Essa discussão, nem sempre pacífica, foi o pretexto para ir fazendo desfilar pelo palco as figuras individuais de nove mulheres e de três personagens coletivas femininas. As cenas do criativo “estúdio da MGM” iam sendo intercaladas por um sem número de momentos musicais e coreográficos de grande beleza. Não podemos deixar de destacar as atuações no arco, que, desta vez contou com as arrepiantes acrobacias de três ginastas, a presença de Eva Perón numa das varandas laterais e a cena das três atrizes de Hollyood, Audrey Hepburn, Elizabeth Taylor e Marilyn Monroe, com uma solução cénica original e de grande impacto visual. Na nossa retina fica a evocação de uma das mais célebres cenas de Marylin, quando o seu vestido esvoaça ao passar pelo respiradouro do metro de Manhattan, durante as filmagens do clássico "O Pecado mora ao lado". Registe-se que a representação desta peça foi um passo em frente na exploração das potencialidades técnicas da Casa da Criatividade, nomeadamente na utilização de um segundo nível do palco, opção feliz e em que vale a pena apostar em próximas peças, uma vez que permite conjugar uma atuação ao nível do palco com uma coreografia no patamar superior, como experimentado numa das atuações musicais.

"Os Serafins": o que se vê e o que não se vê

Com um elenco composto por vinte e nove alunos, dos 6º, 7º, 10º, 11º e 12º anos e ainda de quatro participantes especiais antigos membros do grupo, e de dois Bombeiros Voluntários, “Os Serafins” demonstram uma segurança notável na sua atuação, fruto de um trabalho aturado, levado a cabo ao longo de um ano letivo inteiro e do qual só pode resultar um trabalho final, ao nível daquele que nos foi apresentado no dia 23. Para essa qualidade de representação contribui, também, o facto de a larga maioria dos atores serem “repetentes” no grupo e de estarem já habituados a respirar o “ar de palco”. Estamos certos que essa consolidação será um desafio para uma nova aventura que a encenadora, a minha incansável colega Lurdes Gual, deve estar já a congeminar para a peça do próximo ano, em que o Festival atingirá a dúzia de edições.
Não podemos também deixar de referir, como foi salientado no final da representação, o papel de uma vasta equipa técnica e de apoio, constituída por pais, docentes e assistentes do Agrupamento, profissionais da Casa da Criatividade, Bombeiros e outros elementos da comunidade sanjoanense, que permitiu mobilizar os recursos técnicos e humanos indispensáveis à complexidade de um trabalho como este.
Quem não arranjou bilhete terá uma segunda oportunidade no próximo dia 20 de maio, mas consta que a lotação já se encontra esgotada… Depois disso, ficarão apenas as imagens e a memória de “Depois de ti.” E será uma excelente memória. Parabéns a todos!

Celestino Pinheiro

 

Quem eram “Elas”. A explicação da professora Lurdes Gual:

As heroínas que selecionei para transmitir a mensagem da peça foram: MALALA (Prémio nobel da paz em 2014); Balkis, Rainha de Sabá (que governou, com sabedoria e eficácia, o reino mais importante da Península Arábica), Pipi das Meias Altas (sendo uma personagem ficcional do universo infantil é portadora de uma mensagem de esperança e de coragem, para todas as crianças que crescem sem pais); Eva Péron, a primeira dama mais famosa da história universal, que se destacou na luta pelos direitos das mulheres argentinas e na ajuda aos mais necessitados); Audrey Hepburn, Elizabeth Taylor e Marilyn Monroe (três Divas do cinema americano que também desenvolveram ações humanitárias fora da tela de cinema); Indira Gandhi (que governou a India durante 18 anos num período em que era difícil uma mulher liderar os destinos de uma nação), a participação feminina durante a Segunda Guerra Mundial com destaque para as enfermeiras, as pin ups e as militares); Coco Chanel, a maior expressão da moda do século XXI.

 

Para ver todas as fotos, clique no link seguinte:

"Os Serafins" - Depois de ti.

 

AN IMG 3422