A Joana Silva e a Carolina Santos, da turma D do 7º ano da Escola Básica e Secundária Dr. Serafim Leite, entrevistaram a diretora deste agrupamento de S. João da Madeira, Dr.ª Anabela Brandão, para saber mais sobre as obras que neste momento estão a ser realizadas.

 

anabela1

 

 

JjornalistasS/CS: Como é que se apercebeu que a escola precisava de obras?

Dir.: No primeiro ano em que trabalhei na escola, dei aulas nas oficinas. De inverno tinha muito frio e de verão não aguentava o calor… Quando chovia, a humidade era muita e em algumas salas chovia. Depois entrei para o Conselho Executivo (na altura a Direção chamava-se assim) e como a necessidade de melhores instalações se mantinha começamos a procurar soluções. O Presidente da altura, Prof. Pedro Gual, arranjou as salas, o chão, as paredes, … mas nada resolvia o problema! Desde então que são pedidas obras para a escola, já com mais de 60 anos.

 

AN2 assistentesJS/CS: Tem sido fácil trabalhar nas obras neste tempo de pandemia?
Dir.: Vejamos, há dois pontos de vista: por um lado, é melhor pois é mais seguro uma vez que os alunos não estão na escola; por outro lado, não estávamos preparados para esvaziar as oficinas já. Esperávamos fazê-lo em julho/agosto, com a ajuda de alunos, professores, … Agora só podemos recorrer aos Assistentes Operacionais, o que foi um bocadinho mau, pois quando todo o país estava em casa de quarentena, estavam todos a trabalhar na escola...

JS/CS: Que parte da escola começaram a renovar primeiro?
Dir.: As oficinas. Depois vão passar para a remoção do amianto do bloco principal e arranjo do teto do ginásio.

JS/CS: Que partes da escola é que ainda faltam ser reconstruídas?AN 6 IMG 1042
Dir.: Só as oficinas.

JS/CS: Quais são as partes da escola que precisam de ser renovadas com mais urgência?
Dir.: As oficinas e o ginásio. Mas para já, no ginásio, a intervenção será só no teto.

JS/CS: Qual vai ser o local que será mais complicado de renovar?
Dir.: As oficinas.

JS/CS: Que normas de higiene têm sido adotadas para fazer esta renovação à escola?
Dir.: Todas as exigidas por lei.

JS/CS: Quanto tempo, aproximadamente, vão demorar as obras?
Dir.: Cerca de ano e meio.

JS/CS: Enquanto diretora da escola é preciso ter muita responsabilidade no âmbito das obras?
Dir.: Como a empreitada é da Câmara, a responsabilidade é dela. Da minha parte só faço o acompanhamento, mas não posso interferir muito. Como o subdiretor Prof. Luís Pereira gosta de obras, ele é que está a fazer um acompanhamento mais próximo.

JS/CS: As obras estão a correr como planeado?
Dir.: Para já, sim.

AN2 mecatrónicaJS/CS: Os cursos profissionais estão a ajudar nas obras?
Dir.: São poucos os alunos porque não podem ir para a escola. Mas alguns alunos de Mecatrónica deram uma ajuda preciosa.

JS/CS: O facto de a escola ter aberto na segunda-feira, dia 18 de maio, poderá influenciar as obras?
Dir.: Não. A obra está isolada do resto da escola. Mas se tivessem de vir mais turmas para a escola, não seria possível abrir.

JS/CS: Quanta mão de obra está a ser necessária?
Dir.: Não sei exatamente, porque a obra está à responsabilidade do Empreiteiro.

JS/CS: Gosta de ser diretora deste agrupamento e de poder gerir as obras?
Dir.: Sim. Principalmente porque sei que os alunos vão ter condições muito melhores. Isso é o que importa.AN7 IMG 1048

 

No final, as entrevistadoras agradeceram a disponibilidade e a clareza da informação prestada pela Diretora do Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite. Todos estão em expectativa para ver a conclusão desta obra há tantos anos desejada.


Até lá, gruas, tijolos, areia podem ser vistos na Serafim Leite porque é lá que tudo se constrói, principalmente o futuro dos alunos.

 

Jornalistas: Joana Silva e Carolina Santos 7ºD

 

Para veres mais imagens do andamento das obras, clica nos links seguintes


As obras em maio. Destruição e reconstrução.

As obras no dia 30 de abril.

 


Blogue da Biblioteca Escolar

Memórias da Serafim

  • Os passeios da escola.

    Oct 4, 2020

    Os passeios da escola. Desde o início a escola praticou os passeios. Mais ou menos educativos, mais ou menos lúdicos, a escola sempre saiu dos seus muros. Aqui ficam três registos. Na foto em destaque em passeio a Montalegre, 29 de junho de 2003,[…]

    Read more...
  • Os finalistas de 1972/73

    Sep 23, 2020

    Os finalistas de 1972/73

    Read more...
  • Os livros de finalistas

    Sep 22, 2020

    Os livros de finalistas Estas publicações anuais eram excelentes registos para memória futura das realizações culturais levadas a cabo e, ao mesmo tempo, indeléveis assentamentos dos nomes e faces das gerações que passavam pela escola. No exemplar que agora se digitaliza, cuja oferta muito[…]

    Read more...
  • Os deveres do aluno

    Sep 14, 2020

    Os deveres do aluno No tempo do Estado Novo os deveres do alunos eram bem divulgados. Da ficha dos alunos constava a lista que se mostra. Atuais, ou não, eis um registo numa caderneta de um aluno que se extraiu do excente facebook dos[…]

    Read more...
  • As Fichas

    Sep 14, 2020

    As Fichas De uma escola se espera recolha de dados permanente. Em outras eras as coisas eram mais românticas, mais palpáveis. Hoje as fichas foram substituídas por tabelas exel, mais completas mas também mais assépticas. Aqui ficam dois exemplos, devidamente ocultados, porque[…]

    Read more...

Por aqui...

Temos 92 visitantes e 0 membros em linha