Por
Giselia Nunes - Jornal Labor

Na semana passada, 36 alunos das escolas do concelho tomaram posse como membros eleitos da Assembleia Municipal Jovem no ano letivo 2019/2020. Com 20 votos, Alexandre Sanjuan Gomes, do 11º F da Escola Básica e Secundária (EBS) Oliveira Júnior, foi eleito representante da Assembleia Municipal Jovem (AMJ) de S. João da Madeira (SJM) ao longo deste ano letivo, sucedendo a Mariana Coelho e a Ana Francisca Cunha, que desempenharam o cargo nas segunda e primeira edições, respetivamente. Em declarações ao labor, o estudante disse-se “bastante orgulhoso e honrado” por esta eleição, assegurando ainda que tanto os colegas como quem promove a AMJ podem esperar dele “dedicação e trabalho”.


Alexandre Sanjuan Gomes é o novo porta-voz dos três agrupamentos de escolas do concelho (Dr. Serafim Leite, Oliveira Júnior e João da Silva Correia) e do Centro de Educação Integral (CEI) que fazem parte deste projeto lançado em 2018 pela Assembleia Municipal (AM) em articulação com a câmara e as escolas do município. E é também um dos 36 jovens deputados que, no passado dia 15 de janeiro, tomaram posse no Fórum Municipal e que, depois, participaram na primeira sessão da AMJ. Foi, aliás, nesta reunião que o escolheram, para além de, no período da ordem do dia, cada “bancada” ter apresentado as suas propostas para SJM subordinadas ao tema deste ano “S. João da Madeira – Cidade sustentável e amiga”.
O debate e a votação de todas as medidas, na presença do autarca Jorge Sequeira e dos restantes membros do executivo municipal, bem como da líder da AM, Clara Reis, têm lugar novamente no Fórum Municipal a 25 de março, data da próxima sessão da AMJ.


PROJETO LEVA A “PERCEBER A IMPORTÂNCIA E O VALOR DA AÇÃO CONTRA A ABSTENÇÃO E ALIENAÇÃO”


Por falar em Clara Reis, “foi com enorme orgulho e satisfação” que presidiu a mais uma reunião da Assembleia Municipal Jovem. Na ocasião, segundo a presidente da AM e da AMJ referiu ao nosso jornal, “foi dada a oportunidade aos jovens eleitos nas diferentes escolas de praticar a democracia, da mesma forma que os seus parceiros mais velhos o fazem”.
Para Clara Reis, “a prática da democracia e a participação ativa nos destinos da sua cidade são a melhor forma de motivar os nossos jovens a perceber a importância e o valor da ação contra a abstenção e alienação. Porque, para além das suas propostas, aplicadas quando possível, mas sempre valorizadas, os jovens deputados podem questionar o presidente da câmara sobre questões que os preocupam no seu dia a dia”.
“Assim se ensina aprendendo e se aprende ensinando que a intolerância e o caminho pela perseguição de interesses pessoais não conduzem à felicidade que procuramos e que será apenas alcançada quando partilhada com aqueles com quem convivemos”, defendeu esta responsável política, agradecendo ainda, através do labor, “aos nossos jovens e aos seus educadores por me darem a oportunidade de fazer parte deste projeto”.


ESTE ANO, HAVERÁ PROPOSTAS QUE TAMBÉM SERÃO EXECUTADAS PELA CÂMARA


À semelhança das edições anteriores em que “houve propostas concretas apresentadas neste âmbito que foram efetivamente executadas pela câmara municipal”, “o mesmo acontecerá este ano, na sequência do debate democrático e da partilha de opiniões que decorrerá nas diferentes sessões”, garantiu Jorge Sequeira, para quem “o que é dito na AMJ é escutado com muita atenção e levado muito a sério pela câmara”.
Em seu entender, a Assembleia Municipal Jovem, para além de pretender “divulgar a democracia participativa junto dos jovens da nossa cidade e contribuir para que eles conquistem espírito crítico, capacidade reivindicativa e irreverência”, “tem também como objetivo envolver os estudantes das nossas escolas na vida do Município e recolher os seus contributos para a construção de S. João da Madeira”.
A propósito, o edil deixou ainda “uma palavra de agradecimento e incentivo a todos os jovens participantes, assim como um reconhecimento muito especial aos professores que, também nesta iniciativa, têm um papel de grande importância”.


VISITA À ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA E A OUTROS LOCAIS EMBLEMÁTICOS DA DEMOCRACIA


Tal como o nosso jornal noticiou em edições anteriores, a Assembleia Municipal Jovem é direcionada a todos os alunos da cidade, do 4º ao 12º ano de escolaridade, com vista à promoção do seu papel cívico e da sua intervenção social. Trata-se de um espaço de reflexão e debate sobre temas direcionados aos mais novos, valorizando os seus interesses, opiniões e vontades, possibilitando a exposição das suas ideias, a partilha das suas preocupações e o encontro de soluções comuns.
No final de cada edição, os eleitos para este órgão têm a oportunidade de visitar a Assembleia da República, onde são recebidos por deputados de diversas bancadas parlamentares. Do roteiro destas deslocações tem feito parte também a Presidência do Conselho de Ministros
A passagem por edifícios marcantes na história da conquista da democracia no nosso país é igualmente incontornável, com os jovens deputados de S. João da Madeira a conhecerem o Museu do Aljube, dedicado ao reconhecimento da resistência em prol da liberdade e da democracia, e o Museu Nacional da Resistência e da Liberdade, recentemente criado no Forte de Peniche, antiga prisão política do Estado Novo.

(...)

Depoimento de Sofia Paiva, Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite

“Este é o primeiro ano em que participo na Assembleia Municipal Jovem. Os meus amigos e a minha professora falavam-me deste projeto ainda antes de eu fazer parte do mesmo e este, realmente, interessou-me. Interessou-me porque é uma iniciativa onde a política não é inalcançável e as vozes juvenis podem ser ouvidas mais facilmente. Ainda não tenho uma opinião muito definida, já que esta edição da AMJ está ainda a começar, mas tenho a certeza de que será uma experiência enriquecedora.
De qualquer modo, considero esta iniciativa bastante importante para uma comunidade mais preocupada com o local onde vive e/ou trabalha. Espero que juntos, nós, jovens sanjoanenses, consigamos passar uma mensagem inovadora e melhorar a nossa cidade!”

(...)

Medidas propostas pelo Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite


1.Implementação, na cidade, de um mecanismo de recolha e reciclagem de plásticos, o “Plastic Recycle Machine”, que funcionaria segundo um sistema de recompensas dirigidas ao consumidor, de modo a preservar o ambiente sanjoanense
2.Criação de um Banco de Horas Amigas, ao dispor da comunidade sanjoanense, estruturado em polos de ação distintos, focado no acompanhamento gratuito a idosos, crianças, pessoas de baixa iliteracia, incluindo a informática, e adultos de outras nacionalidades. O mesmo seria regido por um sistema de voluntariado, levado a cabo, sobretudo, por jovens que enriqueceriam, assim, o seu curriculum vitae.
3.Instalação, em locais estratégicos da cidade, de postos de aluguer de bicicletas e de trotinetes, atendendo à escolha atual dos jovens, no que diz respeito ao seu modo de deslocação, ajudando, sobremaneira, o meio ambiente e a saúde dos cidadãos.

Para veres todas as fotos, clica em:

Assembleia Municipal Jovem - 1ª sessão

AN AMJ1

 

AN AMJ2