Os alunos do 12º ano (Ensinos Regular e Profissional) tiveram a oportunidade de assistir, na passada terça-feira, dia 18 de fevereiro, a uma viagem teatral, organizada pelos docentes de Português, cujo porto de partida foram as obras "Mensagem" de Fernando Pessoa e "Os Lusíadas" de Luís de Camões.
Assim, levantando âncora, deram início à navegação dois atores do grupo “Sem Terra”, convenientemente trajados “à Luís” e “à Fernando”, levando a bordo, no barco da Serafim Leite, CMI, alunos que se revelaram bem interessados nesta viagem pela História e pela Literatura Portuguesa.


Partindo de uma enigmática mensagem recebida num indispensável “smartphone”, Camões e Pessoa assumiram “a árdua tarefa de devolver ao país a sua joia maior”, Cristiano Ronaldo, misteriosamente desaparecido numa rua de Lisboa. A busca pela figura mítica nacional seguiu sempre, lado a lado, a análise dos poemas da obra pessoana, a única publicada em vida do autor, facilitando, deste modo, a sua compreensão. Numa perspetiva intertextual, amiúde, iam, também, sendo lidos versos de Camões.
“Acreditamos que, desta forma, terão uma conexão imediata com o que é dito pelos autores e também com o que é estudado sobre cada um deles.” – diriam, mais tarde, os dois atores ao público da Serafim.
Num diálogo sempre vivo, feito de quezílias e momentos de entendimento, os dois poetas foram “viajando” pelas suas obras, à procura de uma solução para o grave problema que tinham em mãos: o paradeiro do herói Cristiano Ronaldo que, na ótica dos atores, assumirá, hoje, o papel dos nossos antepassados que se identificam com “aqueles que da lei da morte se foram libertando”.
Foi um espetáculo divertido, seguido, atentamente, por todo o auditório, professores e alunos presentes. Quem foi gostou!
E, a terminar, houve, ainda, lugar para um pequeno debate que versou, entre outros temas, a importância do teatro na educação das crianças e dos jovens. Em todos os aspetos, acreditem que o teatro saiu a ganhar, mas (cá entre nós), no fim, lá deu “ar da sua graça”, o futebolista português que “anda sempre na boca do mundo”… Não se preocupem... pois ele apareceu!

Celestino Pinheiro e Dina Sarabando

 

Nota final.  Pelo seu significado, trancrevemos, na íntegra, a mensagem de correio eletrónico enviada, posteriormente, pelos membros do "Sem Terra", à professora Dina Sarabando:

Muito obrigada professora. Mais uma vez, foi um prazer enorme sermos recebidos na vossa escola. Muitos parabéns pelo vosso trabalho enquanto professoras, faz-nos acreditar que as futuras gerações serão indivíduos sensíveis e curiosos.

Bem haja!
E até breve, esperamos nós.

 

AN navegar1

 

AN navegar2

 

AN navegar3

 

AN navegar4

 

AN navegar5

 

AN navegar6