A instalação artística desta imagem  e da imagem seguinte causou alguma perplexidade entre todos nós.

Ainda bem!

O "inócuo" é a antítese das "expressões" e perturba a atenção pública.

cardboards

Se não fosse importante,

 não estaria pendurada

na entrada da escola,

mais concretamente,

no nome do patrono.

• A "imagem" é a alma das empresas.

• E qual será a alma da Escola Pública?

                                                                                                                   Prof. Paulo Duarte

Para mais ilações sobre a reflexão que a instalação provoca, entre as quais esta questão que vos trago, convido-vos a ler o texto seguinte:

Instalação "Cardboards"

"Mais importante do que a obra de arte propriamente dita é o que ela vai gerar. A arte pode morrer; um quadro desaparecer. O que conta é a semente.Miró , Joan

A instalação artística "Cardboards" associada numa primeira fase a um projeto da disciplina Filosofia (alunos Beatriz Moreira, Bernardo Resende, Elisabete Daniela, Jéssica Santos e Joana Ferreira do 11.º B, coordenados pela professora Eugénia Nolasco) e posteriormente, numa segunda fase, associada ao Atelier de Desenho, coordenados pelo professor Paulo Duarte e com a ajuda da restante turma do 11ªB, teve como tema a Pop Art.

Para trabalhar a Pop Art tivemos como base um artista muito importante, Robert Rauschenberg.

Se quiséssemos eleger alguém que correspondesse às caraterísticas de um "homem do Renascimento", um Leonardo da Vinci contemporâneo, para além de outros artistas, o mais certo era recair sobre duas figuras importantes do mundo da arte: Robert Rauschenberg e Pablo Picasso. Sobre Picasso já se disse tudo mas de Rauschenberg pouco se fala.

Rauschenberg agiu como uma importante ponte entre o expressionismo abstracto e a Pop art, sendo o paradigma do nosso tempo, o artista completo com capacidades infindáveis, uma curiosidade permanente, um sentido estético invulgar e um humanista convicto. Foi um artista muito importante na história da Arte, tendo trabalhado temas sobretudo críticos em relação à sociedade em que se integrava, uma sociedade consumista e de excessos.

Muito resumidamente, Rauschenberg utilizava o lixo que as pessoas produziam, como por exemplo plásticos e caixotes de cartão para depois produzir as suas obras de arte. Quando as pessoas, as mesmas que consumiam, viram os trabalhos de Rauschenberg não os consideraram obras de arte.

Mas porquê estes aplausos (merecidos) dirigidos a um artista fortemente conotado com a Pop Art, um movimento artístico com mais de meio século que parece já pertencer a um passado distante? É verdade que a influência da Pop Art, herdeira do movimento Dada e das excentricidades de Marcel Duchamp, continua a fazer-se sentir diretamente nas nossas vidas e na Arte. Ainda hoje as obras de Rauschenberg se encontram perfeitamente atuais e adaptadas à nossa sociedade, uma sociedade consumista, que "consome para ser".

A nossa instalação pretendeu demonstrar essa sociedade consumista que somos hoje em dia e demonstrar um pouco o trabalho de Rauschenberg, enquanto artista, opondo-o a outro artista da Pop Art, Andy Warhol.

Ambas as fases deste trabalho se definem por esta simples citação:

Entre o Feio tão Feio que é Belo

E Bonito de tão assim, que é piroso

Fala a Arte.

Trabalho reallizado pelos alunos:

Joana Ferreira |Elisabete Daniela | Bernardo Resende | Jessica Santos | Beatriz Moreira.

 (11ºB)

Depoimentos poéticos do Prof. Paulo Duarte

Pelo bem público

que servimos,

parem este paradigma da imagem,

da inovação,

do empreendedorismo.

Na Escola Pública

ainda reinam outros paradigmas.

Constam da LBSE.

Alguns dirão que não,

que a escola é o espelho da sociedade.

Estão errados,

Distraídos ou, até mal intencionados.

Se fosse verdade,

a escola não seria necessária.

Com o 25 de Abril

a escola deixou de ser reflexo

e conquistou uma função social

e transformadora

(da sociedade).

A Educação não está ao serviço dos mercados —

não significa "formatação" do espírito.

Preservemo-la.

Libertem-se.